banner

Alvorada Moema atinge o marco de 100 cirurgias ortopédicas robóticas

Utilizada nas artroplastias de joelho e quadril, a tecnologia MAKO agrega segurança e efetividade aos procedimentos, contribuindo para os bons resultados e recuperação mais rápida dos pacientes.

Primeira instituição de São Paulo e a segunda do Brasil a incorporar a tecnologia MAKO, sistema robótico da Stryker para artroplastias de joelho e quadril, o Hospital Alvorada Moema realizou em maio sua 100ª cirurgia robótica ortopédica. 

“Com seu conjunto de recursos, o braço robótico MAKO permite maior precisão na colocação dos componentes da prótese, levando a um melhor posicionamento desta, diferenciais que contribuem para melhores resultados clínicos e recuperação mais rápida do paciente”, afirma o Dr. Osvaldo Pires, coordenador do Sistema de Excelência de Ortopedia do Americas.

Os avanços propiciados pela tecnologia começam já no planejamento cirúrgico em 3D. “Com base em um exame de tomografia 3D, definimos a anatomia do paciente. Esse exame é enviado ao Centro de Planejamento da Stryker e um software programa o passo a passo o procedimento. Esse software é instalado no robô, permitindo ao cirurgião cumprir o que foi estabelecido no pré-operatório de maneira submilimétrica, o que contribui para reduzir riscos e variabilidade dos resultados, com melhores desfechos clínicos”, explica o Dr. Osvaldo. 

Ao contrário de sistemas robóticos para procedimentos de outras especialidades, no MAKO é o cirurgião, devidamente certificado, que manipula o braço robótico. O Alvorada Moema tem 12 cirurgiões ortopédicos certificados para a robótica: 8 para artroplastia total ou unicompartimental de joelho e 4 para artroplastia de quadril.

Vantagens em várias frentes

Menos invasiva e com resultados mais assertivos, a cirurgia ortopédica com robô diminui sangramentos, o risco de complicações intra e pós-operatórias e a necessidade de UTI no pós-operatório. Permite uma recuperação mais rápida e menos dolorida devido à redução de danos aos tecidos moles, como músculos, tendões e ligamentos, e ao tecido ósseo que é retirado para a colocação da prótese, tudo isso através de incisões menores. O tempo de internação gira em torno de um a dois dias, menor do que o geralmente necessário nas artroplastias convencionais. 

Esses são benefícios importantes para os pacientes e para o sistema de saúde, já que menos complicações, levando a menos reinternações e reopoerações, e menor tempo de UTI e de internação significam custos menores ao sistema.  Por fim, próteses bem-posicionadas e estáveis tendem a durar mais e permitirem ao paciente voltar a fazer suas atividades, trazendo uma maior satisfação com o resultado do procedimento. 

“Esse avanço tecnológico traz uma importante e positiva mudança na forma como as cirurgias ortopédicas são realizadas. A robótica em procedimentos ortopédicos é uma revolução que está apenas no começo e deverá ganhar terreno gradativamente, tonando-se uma alternativa cada vez mais viável e vantajosa para todos: pacientes, médicos e sistema de saúde”, afirma o Dr. Osvaldo. “Nós já somos um polo de referência para cirurgia ortopédica e queremos nos tornar um polo de referência em cirurgia robótica na ortopedia. Ser o primeiro Hospital de São Paulo a atingir o marco de 100 procedimentos com o MAKO é um sinalizador de que estamos no caminho certo”, completa ele.

 

logo

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país