retomada eletivas

Chegou a hora da retomada! Com toda a segurança.

Com diretrizes técnicas bem estabelecidas, nossos hospitais estão prontos para a volta dos procedimentos eletivos.

Os hospitais do Americas Serviços Médicos estão colocando em prática seu plano para a retomada das cirurgias e demais procedimentos eletivos com total segurança, enquanto mantêm o indispensável atendimento às pessoas com Covid-19. Para médicos e pacientes, isso significa a possibilidade de realizar os tratamentos em instalações hospitalares adequadas e seguras.

“A segurança dos pacientes e equipes sempre foi e sempre será uma prioridade para nós. Está acima de qualquer outra meta de negócios. Não abrimos mão dela em nenhuma circunstância”, destaca a Dra. Lais Perazo, Diretora Médica Executiva do Americas.

Por isso, no atual contexto, criteriosas análises avaliam a curva de crescimento dos casos de Covid na região de cada hospital da rede Americas, a taxa de ocupação da instituição e o volume de recursos técnicos e humanos disponíveis. “Nos hospitais que se encontram em condições de retomada dos procedimentos eletivos, executamos a diretriz estabelecida pelo Comitê Técnico do Americas, que definiu ponto a ponto como isso deve ser feito”, afirma o Dr. Fernando Colombari, diretor de Prática Médica. Da marcação do procedimento até a alta do paciente, foram criados fluxos e procedimentos para garantir a segurança de todos.

Estratégia em múltiplas frentes

Os hospitais do Americas continuam funcionando no modelo de coortes, com fluxos e equipes completamente separados para o atendimento dos pacientes com e sem Covid-19. Pronto atendimento, salas cirúrgicas, áreas de pós-operatório e internação foram divididos entre pacientes com ou sem coronavírus. Os horários dos procedimentos foram espaçados para evitar aglomerações, e a área de suprimentos vem mantendo rigorosamente o abastecimento de todos os medicamentos e equipamentos necessários para a realização dos procedimentos. O uso de EPIs foi padronizado: as equipes que atendem os pacientes sem a infecção usam os mesmos recursos de proteção dos profissionais que atuam na linha de frente contra o coronavírus.

A triagem dos procedimentos cirúrgicos, feita por meio de questionários para identificar sintomas ou exposição a infecções, ganhou papel ainda mais relevante. “Quando o paciente não apresenta sintomas e não teve contato com pessoas com a doença, prossegue no agendamento cirúrgico”, detalha o Dr. Fernando, lembrando que esses critérios se estendem ao acompanhante exclusivo do paciente (no atual contexto, não é permitido o revezamento de acompanhantes). Se houver suspeita ou confirmação de infecção, avalia-se se é o caso de adiar o procedimento ou realizá-lo no fluxo de pacientes com Covid.

Em casos que exigem cuidados extras, os hospitais do Americas estão fazendo testagens de RT-PCR do paciente, acompanhante e equipes, sem custos adicionais para as fontes pagadoras.

Mais agilidade, menos contatos

Outra providência foi facilitar os processos internos e diminuir os pontos e tempos de contato dos pacientes com áreas hospitalares em que a presença física pode ser dispensada. Para tanto, os hospitais da rede investiram em recursos como teleorientação e, em algumas unidades, check-in online, que dispensa o preenchimento do cadastro na recepção. Os trâmites do processo administrativo ocorrem quando o paciente já está no quarto. Nos pontos de contato físico, foram reforçadas as medidas de segurança, como instalação de painéis transparentes que impedem a dispersão de perdigotos.

No Rio e em São Paulo, outra estratégia adotada é o direcionamento das cirurgias para unidades que têm menos pacientes com Covid, como os Hospitais Santa Lúcia (RJ) e Paulistano (SP).

Trata-se, enfim, de um conjunto de ações que levam sempre em conta as condições específicas de cada unidade. “Estamos promovendo a retomada dos procedimentos eletivos com mais ou menos força em função dos contextos de cada instituição, pautados sempre pelo valor da segurança”, ressalta o Dr. Fernando. Entre as unidades que seguem na dianteira desse processo estão os Hospitais Samaritano Higienópolis, Paulistano e Vitória Anália Franco, de São Paulo, e Samaritano Botafogo e Santa Lúcia, do Rio.

Contudo, é importante frisar que as salas cirúrgicas da rede Americas nunca pararam. “Sempre estivemos preparados para atender os casos inadiáveis com a máxima segurança”, ressalta a Dra. Lais, lembrando, inclusive, que todo procedimento eletivo pode virar um tratamento de urgência em algum momento.

“Desde o início da pandemia nos preparamos para organizar e dar vazão a todos os tipos de demandas, até porque precisamos levar em conta o fato de que não viveremos em um mundo pós-Covid. Vamos viver em um mundo com Covid, assim como vivemos com influenza, tuberculose e várias outras doenças infectocontagiosas que nos ameaçam diariamente e nos desafiam a fazer procedimentos seguros dentro dos hospitais”, ressalta a Dra. Lais. “Por isso, qualidade e segurança dos pacientes e das nossas equipes continuam sendo nossas prioridades intransigíveis.”

Clique na unidade hospitalar e confira o vídeo sobre fluxo seguro

  1. Samaritano Higienópolis
  2. Promater
  3. Samaritano Botafogo
  4. Madre Theodora
  5. Santa Lucia
  6. ACOI
  7. Alvorada Moema
  8. Pró Cardiaco
  9. Samaritano Barra
  10. Vitoria Barra
  11. Vitoria Analia Franco
  12. Metropolitano
  13. Paulistano
  14. Alvorada Brasilia
  15. Santa Joana
  16. Monte Klinikum
  17. Fluxo geral do grupo

 

 

  

 

 

 

Logo do Americas Serviços Médicos.
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-Hospitalar do país.