Digital care

Digitalização da jornada do médico: mais agilidade no relacionamento e melhor experiência

Em qualquer organização, independentemente do segmento, a valorização, o desenvolvimento e a qualidade do capital humano são de grande importância. E, no caso do Americas, o profissional médico, um stakeholder crucial para garantir nossa sustentabilidade, merece toda a atenção. O próprio modelo de negócios preconiza a entrega de valor para todos, o que em linhas gerais significa qualidade médica e experiência das pessoas, com um custo adequado.

A tecnologia não é novidade no Americas. Porém, não necessariamente elas estão diretamente relacionadas ao processo de atuação e de relacionamento entre os médicos e a rede. É o que explica o diretor de práticas médicas, Dr. Fernando Colombari. E é esse cenário que está sendo transformado.

Com isso em mente e com base nas demandas apresentadas pelos próprios profissionais médicos, foi desenvolvido o projeto Jornada do Médico, que faz parte da iniciativa denominada Digital Care. Trata-se de um conjunto de ferramentas que apoiam a experiência deste profissional, com a menor fricção possível. Como parte da estratégia de dar continuidade ao propósito de adoção contínua, a ideia foi fazer o uso de novas tecnologias capazes de simplificar os processos dos nossos hospitais e a vida de nossos médicos parceiros.

“Toda essa automatização que está sendo feita nos dará mais agilidade e fluidez quando falarmos de processos. Ao colocarmos todos em uma jornada digital, estamos liberando os médicos de processos muito burocráticos e dando espaço para que possam focar no que realmente importa: o paciente”, ressalta Colombari.

Em fase de implementação, o projeto trará transparência e uma série de melhorias, que culminarão não somente em uma melhor experiência para o profissional, mas também em mais eficiência no sistema e mais qualidade para o paciente na ponta.

“Acreditamos que, quando um profissional opta por atender um paciente em nossa estrutura e destina-lhe toda a proficiência desenvolvida ao longo da carreira, é sinal de que ele confia em nossos processos. Não ter entraves e nem fricção em nenhuma etapa de sua jornada é o mínimo que temos a oferecer”, ressalta Paulo Ishibashi, diretor executivo de Growth do Americas.

A primeira etapa desse projeto é a construção de um cadastro unificado, que já se traduz em melhorias e no aprimoramento do processo logo no primeiro contato do médico com o Americas. O profissional que se cadastrar em um dos hospitais pode ser reconhecido nas demais unidades, caso tenha interesse na extensão do cadastro.

Desta forma, o tempo para efetivação do cadastro de um novo médico será reduzido para menos de cinco dias úteis. E os trâmites para que esse cadastro seja avaliado individualmente por cada diretor, graças à integração das informações, serão mais rápidos.

Uma segunda etapa é acrescentar funcionalidades ao Portal do Médico. A ferramenta servirá aos 18 mil médicos que atuam na rede, desde o momento do cadastro até o recebimento pelos serviços prestados, passando pelos agendamentos, solicitações, envio de documentos, abertura de chamados para suporte da área de tecnologia da informação, consulta de status de pagamento, procedimentos realizados, entre outros.

Segundo o CIO do UnitedHealth Group Brasil, Jalmor​ Muller Junior, a ideia é que o Portal do Médico traga a mesma experiência dos bancos digitais, por exemplo, para a área da saúde, facilitando o processo para os parceiros, internalizando toda a parte burocrática e deixando todas as ferramentas que os médicos utilizam mais acessíveis e transparentes, em um só local. 

“Nossa ideia é tornar o onboarding e o relacionamento do dia a dia mais fluído e com o menor número possível de interações. Estamos traduzindo com o apoio da área de negócios os desafios que tínhamos para melhorar a user experience, descomplicando e trazendo agilidade para toda essa jornada dos médicos e também dos pacientes, aspectos que estão diretamente relacionados”, ressalta.

Tiago Frigini, gerente médico e CMIO do Americas, conta que, atualmente, as escalas, que na maioria dos hospitais são feitas manualmente, e o processo de pagamento, feito via planilhas de Excel, estão sendo automatizados.

“O que queremos é dar transparência para os médicos para que possam acompanhar diariamente o seu relacionamento com a instituição e não precisarem ficar esperando o hospital emitir um relatório, gerar um documento, fazer a conferência, emitir a nota e somente depois o pagamento ser gerado”.

Para os cirurgiões, um importante valor agregado é o agendamento on-line de cirurgias. A plataforma, que por ora funcionará de forma independente, mas que será integrada ao portal, poderá ser acessada a partir de celular ou computador, e tem como proposta automatizar o processo de agendamento, facilitando seu acesso, reduzir o tempo de autorização, agilizando a comunicação entre o médico e o núcleo de agendamento do hospital.

“Perguntamos aos médicos, assimilamos e endereçamos suas principais dores, tiramos da frente essas fricções e estamos implementando projetos que vão beneficiar a jornada do médico no sistema Americas, o que acaba refletindo no paciente. Esta é a beleza do projeto”, ressalta Ishibashi.

Dos aspectos da tecnologia

O portal médico é o primeiro do UnitedHealth Group Brasil, do qual o Americas faz parte, que está nascendo 100% em ambiente de nuvem, possuindo elevados níveis de segurança, estabilidade e alta disponibilidade, além de ser facilmente escalável. A plataforma também implementa diversos controles de acesso e outros parâmetros de segurança aderentes à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). O médico não precisará fornecer nenhuma outra informação, além da que já é usual.

Segundo Luis Rogério de Souza Neto, diretor de TI do UnitedHealth Group Brasil, responsável pela área de infraestrutura e arquitetura, no caso da ferramenta de agendamento cirúrgico, por exemplo, foi feita toda uma avaliação dos aspectos de segurança pelas equipes de arquitetura e segurança da informação, tanto para os dados coletados, como para dados em repouso (armazenados). O objetivo é proporcionar tranquilidade para todos os lados e mitigar riscos de vazamento de dados. “Tudo foi construído nesses projetos com a resiliência necessária, com acesso anywhere”, ressalta.

Visão do futuro

Além dos projetos acima, está em andamento a implementação da nova versão do prontuário eletrônico Philips Tasy, que permitirá ao profissional ter acesso a todos os dados do paciente transversalmente, independentemente do local por onde ele passar, com todos os devidos controles de acesso. Também está prevista a versão de Digital Care para o atendimento ao paciente, incluindo a parte de Telemedicina.

Rogério Kaneko, diretor de transformação digital do UnitedHealth Group Brasil, explica que estão nos planos da companhia cada vez mais projetos que ajudem a eliminar trabalhos desnecessários e permitam aos médicos concentrarem-se cada vez mais na parte clínica.

“Nossa meta é ir além das tarefas burocráticas. Temos o objetivo do Digital Care, que visa a apoiar a prática clínica e coordenar o cuidado contínuo por meio do entendimento da jornada do indivíduo, gerando insights para que o médico, por meio da inteligência artificial, por exemplo, possa ter acesso a informações importantes da saúde de seus pacientes. Há um longo caminho a ser percorrido, mas, como o futuro é cada vez mais digital, inclusive na saúde, é fundamental que consigamos tirar o máximo de benefícios dessa evolução”, finaliza Kaneko.

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados