banner

Indicadores atestam excelência da rede Americas

Qualidade, segurança, eficiência e sustentabilidade são atributos que colocam hospitais da rede entre os benchmarks nacionais e internacionais.

Os indicadores assistenciais do Americas, que já tinham registrado extraordinária recuperação dos impactos provocados pela pandemia da COVID-19, atingiram novos patamares de excelência, sendo que vários deles colocam os hospitais da rede entre os benchmarks nacionais e internacionais.

Diretor de Práticas Médicas do Americas, o Dr. Fernando Colombari aponta alguns resultados de destaque obtidos em abril:

  • Todos os hospitais da rede registraram zero ocorrência de Pneumonia Associada à Ventilação, que é uma das principais causas de morbidade e mortalidade nas UTIs. 
  • No indicador de Infecções de Corrente Sanguínea Associadas a Cateter, o desempenho equipara-se ao dos benchmarks norte-americanos: menos de 1 para cada mil cateteres/dia, sendo que muitos hospitais da rede conseguiram zerar infecções do tipo.
  • No indicador Lesão por Pressão, outro resultado extraordinário: 0,54 lesões para cada mil pacientes/dia, um valor três vezes menor que o benchmark internacional. Quando analisamos os estadiamentos dessas lesões, não verificamos a ocorrência de lesões de estágio 3, 4 e inclassificáveis, fortalecendo a importância de evitar e prevenir esses tipos de lesões classificadas como “never events”, que trazem graves consequências e sofrimento tanto para o paciente como para seus familiares.
  • Em relação ao indicador de Queda, estruturamos os processos com o intuito de entender as principais fragilidades e oportunidades de fomentar barreiras de segurança. Com isso, pudemos evidenciar 91,4% de conformidades em nossas estratégias de segurança, refletindo no indicador de resultados, com 71% dos eventos de queda sem danos ao paciente. É interessante ressaltar que 24% de todos os eventos foram decorrentes de desnível do eixo com o paciente, sendo amparado pela equipe multiprofissional. Outros 21% foram inerentes aos cuidados decorrentes da condição clínica do doente, caracterizada por lipotimia, síncope ou mesmo crise convulsiva. Esse resultado reflete a maturidade das equipes quanto à importância da notificação e sinalização desses eventos. Mesmo diante dessas circunstâncias, eles são considerados por definição como queda e são inseridos em nossos indicadores como oportunidades para atuarmos com vigilância e prudência nessas tratativas. 
  • Em abril, no nosso segundo mês de auditoria e mensuração da qualidade da assistência em relação à Dor, registramos 81,69% de conformidade de avaliação adequada para dor.
  • Quanto ao indicador de Broncoaspiração em pacientes internados, um trabalho intenso com a fonoaudiologia vem sendo realizado, levando a uma incidência de 0,18 no mês de abril.

“Esses são alguns números que tangibilizam a excelência do cuidado que oferecemos aos pacientes em nossos hospitais”, afirma o Dr. Colombari, lembrando, ainda, a gama de relevantes acreditações das unidades do Americas (veja quadro no final do texto).

Outro feito do período recente que merece destaque foi o fato de 14 hospitais do Americas terem conseguido levar suas UTIs para o seleto grupo de UTIs Top Performer, selo concedido pela Epimed Solutions às unidades que combinam, a partir de uma matriz de indicadores, qualidade no atendimento de pacientes de alta gravidade com sustentabilidade das operações, calculada segundo uma taxa de permanência padronizada. “Nossas UTIs ficaram no quadrante de maior eficiência dessa matriz. Ou seja, demonstramos excelentes resultados assistenciais com a utilização adequada de recursos”, destaca o diretor.

Segundo ele, conquistas como essas atestam a qualidade das estruturas e dos processos gerenciados dos hospitais do Americas, bem como a expertise e o comprometimento das equipes médicas e multiprofissionais, que transformam a excelência em saúde e o foco no paciente em uma prática do dia a dia.  “Soma-se ao trabalho em prol da qualidade, a gestão adequada dos custos, fator essencial para a sustentabilidade da nossa forma de prestar serviços de saúde”, completa o Dr. Colombari. “Isto é qualidade plena, agregando valor ao sistema”.

Excelência nas especialidades

Confira alguns indicadores das especialidades-chave do Americas.

Cardiologia

  • Cerca de 1.000 protocolos de dor torácica abertos mensalmente em toda a rede
  • Tempo Porta-ECG

    (intervalo de tempo entre a entrada do paciente com sintomas de síndrome coronária aguda até a realização do eletrocardiograma)

2020

2021

Meta ASM

Percentil 90 ACC*

91,6%

95,3%

95%

87,6%

* Percentil 90 ACC representa os hospitais que estão no grupo dos 10% melhores do registro do American College of Cardiology.

  • Tempo Porta-Balão

    (intervalo de tempo desde entrada do paciente com sintomas de síndrome coronária aguda até a realização de angioplastia primária)

2020

2021

Meta ASM

Média ACC*

79,8%

91,0%

95%

86%

* Representa a média dos hospitais participantes do registro do American College of Cardiology.

  • Sete hospitais do grupo apresentaram 100% de conformidade no tempo porta-balão < 90 minutos em 2021. 

Neurologia

  • Cerca de 300 protocolos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) são abertos mensalmente em toda a rede.
  • Tempo Porta-Imagem

    (intervalo de tempo entre a entrada do paciente com sintomas até a realização do eletrocardiograma)

2021

2022*

Meta ASM

Meta ASA**

26min

24min

25min

25min

* Janeiro a Abril de 2022; **American Stroke Association

  • Mediana Tempo de Permanência

2021

2022*

Meta ASM

ANAPH**

6 dias

5 dias

7 dias

5,3 dias

* Janeiro a Abril de 2022; ** Observatório ANAPH2021

  • Taxa de Mortalidade

2021

2022*

Meta ASM

ANAPH**

9%

6%

22%

11,99%

* Janeiro a Abril de 2022; **Observatório ANAPH2021

Ortopedia*

  • Tempo de permanência em artroplastias (de joelho ou quadril): abaixo de três dias.
  • Superação da marca de 100 cirurgias ortopédicas robóticas. 

*Números referentes ao Hospital Alvorada Moema

Transplantes*

Evolução do número de transplantes 

 

2019

2020

2021

Córnea

0

32

85

Coração

2

1

1

Fígado

2

7

4

Renal

65

56

56 (22 adulto/34 pediátrico)

Tecido

0

2

17

TMO

83

116

161 (122 adulto/39 pediátrico)

Total

152

214

324

 

Indicadores TMO e Renal

  • Tempo médio de permanência (momento do transplante)

      TMO Autólogo: 22 dias
      TMO Alogênico: 30 dias
      Transplante renal (doador vivo): 9 dias
      Transplante renal (doador falecido): 13 dias

  • Sobrevida do paciente TMO – 1 ano

     Autólogo: 83,8% (ABTO -Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos: 86%)
     Alogênico: 71% (ABTO: Aparentado: 63%/Não aparentado: 58%)

  • Sobrevida Transplante Renal Adulto – 1 ano

     Paciente: 93% (doador vivo – 97%/falecido – 94%)
     Enxerto: 96% (doador vivo – 94%/falecido – 88%)

  • Sobrevida Transplante Renal Pediátrico – 1 ano

     Paciente (doador vivo): 100% (ABTO: 97%)
     Paciente (doador falecido): 97% (ABTO: 94%)
     Enxerto (doador vivo): 98% (ABTO: 94%)
     Enxerto (doador falecido): 93% (ABTO: 88%)

*Números referentes ao Hospital Samaritano Higienópolis

Quadro de acreditações hospitalares

Joint Commission International (JCI)

  • Hospital Samaritano Higienópolis (SP)
  • Hospital Samaritano Paulista (SP)
  • Hospital Paulistano (SP)
  • Hospital Vitória Anália Franco (SP)
  • Hospital Alvorada Moema (SP)
  • Américas Centro de Oncologia Integrado (RJ)
  • Hospital Samaritano Botafogo (RJ)
  • Hospital Pró-cardíaco (RJ)
  • Hospital Santa Joana de Recife (PE)

ONA II – Acreditado Pleno 

  • Hospital de Clinicas de Caieiras (SP)

ONA III – Acreditado com Excelência 

  • Hospital e Maternidade Madre Theodora (SP)
  • Hospital Alvorada Brasília (DF)
  • Hospital Metropolitano (SP)
  • Hospital e Maternidade Santa Lúcia (RJ)
  • Eye Clinic (SP) 

Programas Acreditados pela JCI 

Programa de Cuidados Clínicos em Diabete Mellitus

  • Hospital Samaritano Botafogo (RJ)
  • Hospital Pró-cardíaco (RJ)

Programa de Cuidados Clínicos em Transplante Renal Pediátrico

  • Hospital Samaritano Higienópolis (SP)

Programa de Cuidados Clínicos em Insuficiência Cardíaca 

  • Hospital Samaritano Paulista (SP)
  • Hospital Pró-Cardíaco (RJ)

Programa de Cuidados Clínicos em Infarto Agudo do Miocárdio

  • Hospital Samaritano Paulista (SP)

Programa de Cuidados Clínicos Cuidados Paliativos

  • Hospital Paulistano (SP)

Programa de Cuidados Clínicos em Acidente Vascular Encefálico

  • Hospital Samaritano Paulista (SP)

Programa Acreditado pela Qmentum

Stroke Distinction Program – linha de Cuidado do Acidente Vascular Cerebral

  •  Hospital Pró-Cardíaco (RJ)

Reconhecimentos pelo American College of Cardiology (ACC) 

Platinum Performance Achievement Award (reconhecimento da ACC pela excelência no tratamento do Infarto Agudo do Miocárdio

  • Hospital Samaritano Paulista (SP)

Acreditação Chest Pain Center (centro de dor torácica)

  • Hospital Samaritano Paulista (SP)
logo

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país