banner

Núcleo de Atendimento a Estrangeiros: o caso do Sr. Fredy

Graças à ação da equipe do Americas, turista belga que teve um problema complexo no Brasil já está bem e de volta ao seu país. 

O Sr. Fredy, um cidadão belga que aproveitava o verão brasileiro em Fortaleza e região sentiu-se mal e precisou de atendimento médico. Foi internado em uma OSS (Organização Social de Saúde), uma unidade voltada a atendimentos simples e sem muitos recursos. Sem falar português, o paciente não pôde informar que tinha seguro de saúde para atendimento hospitalar privado em solo brasileiro. 

Seu quadro de colecistite aguda e COVID agravou-se com complicações, resultando em pneumonia e insuficiência respiratória. Foi quando um funcionário da unidade notou que ele tinha uma carteirinha de seguro e começou a buscar um hospital que o atendesse para um tratamento adequado, caso contrário as perspectivas não eram nada promissoras. 

Na ligação para o Monte Klinikum, hospital de alta complexidade da rede Americas, foi orientado a contatar o Núcleo de Atendimento a Estrangeiros da instituição. Iniciava-se aí uma corrida contra o tempo para salvar a vida do Sr. Fredy. 

Enquanto a equipe do Núcleo providenciava a liberação da seguradora e, depois, a transferência do Sr. Fredy para o Monte Klinikum, um médico do Americas orientava o colega da OSS até que fossem concluídos os trâmites burocráticos. 

Após 23 dias de tratamento no Hospital Monte Kinikum, incluindo realização de hemodiálise devido ao comprometimento dos rins, o Sr. Fredy teve condições clínicas para ser repatriado para um hospital belga. Novamente, o planejamento do Núcleo de Atendimento a Estrangeiros fez a diferença, preparando-o para o voo, e juntamente com a equipe médica internacional, conseguiram preparar um avião que o transportaria, realizando apenas uma parada de abastecimento, em vez das duas programadas, para evitar complicações e agilizar a chegada ao destino, que ocorreu com sucesso. 

Humanização e expertise 

O caso do Sr. Fredy é um dos tantos que chegam ao Núcleo de Atendimento a Estrangeiros, geralmente por solicitação de familiares, seguradoras ou outros hospitais. Assim como o turista belga, muitos também chegam com dificuldades e entraves que a equipe do Americas está acostumada a superar com uma combinação de proatividade, conhecimento e empenho. “Esse suporte ao paciente é parte da nossa filosofia de humanização. Atuando com empatia, buscamos acolher da melhor forma esse público que está vulnerável, com problemas de saúde em outro país, muitos sem conseguir se comunicar. Se não nos envolvermos para oferecer soluções e agilizar o processo, o paciente pode até morrer”, afirma a Dra. Valéria Salles, coordenadora do Núcleo. 

Importante para o paciente, esse envolvimento é também um diferencial para as operadoras de saúde, que sabem que podem contar com a equipe do Núcleo para dar o melhor encaminhamento aos casos de estrangeiros. “Conquistamos a confiança pelo trabalho e também pela transparência dos custos do tratamento, realizado com responsabilidade e ética”, ressalta a Dra. Valéria.

Para oferecer atendimento diferenciado, a equipe do Núcleo foi especialmente treinada. Todos os profissionais são fluentes em inglês e vários se comunicam em diferentes idiomas. Nos hospitais que atendem seguro internacional – todos muito bem-estruturados e preparados para a alta complexidade –, também há profissionais capacitados e aptos a se comunicarem em inglês. São os seguintes os hospitais que cobrem esses atendimentos em toda a área de atuação do Americas: Samaritano Botafogo, Samaritano Barra e Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro (RJ); Samaritano Paulista e Samaritano Higienópolis, em São Paulo (SP); Madre Theodora, em Campinas (SP); Carlos Chagas, em Guarulhos (SP); Monte Klinikum, em Fortaleza (CE); Promater, em Natal (RN), Santa Joana Recife (PE); e Alvorada Brasília (DF). 

 

logo

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país