Núcleo de Parkinson e Distúrbios do Movimento do país

O mais completo Núcleo de Parkinson e Distúrbios do Movimento do país

Disponível no Samaritano Higienópolis e Samaritano Paulista, serviço realiza diagnósticos e tratamentos clínicos e cirúrgicos, incluindo a Estimulação Cerebral Profunda.

Implantado em 2017 no Hospital Samaritano Higienópolis e atualmente disponível também no Samaritano Paulista, o Núcleo de Parkinson e Distúrbios do Movimento consolidou-se como uma referência no cuidado das mais diversas patologias do movimento, como doença de Parkinson, distonia, ataxia, coreia, mioclonia, tiques, síndrome de Gilles de la Tourette, tremor essencial e outros tremores.

Com uma equipe médica composta por profissionais experientes, formados nos melhores centros universitários do país, e com o suporte de avançada tecnologia, o Núcleo realiza avaliações diagnósticas e desenha planos terapêuticos personalizados visando o controle da doença e dos efeitos colaterais que podem advir dos tratamentos. O objetivo é sempre proporcionar aos pacientes a melhor qualidade de vida possível.

Os especialistas do Núcleo estão habilitados para o atendimento de todos os perfis de pacientes – casos simples ou complexos, em fase inicial da doença ou em estágio avançado. A gama de recursos terapêuticos inclui tratamento com medicamentos, aplicação de toxina botulínica e cirurgia com técnicas avançadas, como a Estimulação Cerebral Profunda (Deep Brain Stimulation – DBS).

Estimulação Cerebral Profunda

Um dos diferenciais do Núcleo é justamente a disponibilização do DBS, terapia adicional para pacientes com doença de Parkinson e outros distúrbios do movimento (como distonias e tremor essencial) que não respondem adequadamente ao tratamento convencional baseado em medicação e reabilitação.

De acordo com a literatura especializada, cerca de 20% dos pacientes com doença de Parkinson necessitarão desse tipo de tratamento em algum momento, geralmente depois de cinco anos da doença instalada*.

“Além de sermos um dos poucos centros especializados do Brasil a oferecer essa terapia, nos destacamos por contar com uma equipe multidisciplinar, que atua de forma integrada”, afirma o Dr. Rubens Cury, coordenador do Núcleo, fazendo referência ao time de neurologistas, neurocirurgiões e eletrofisiologistas que trabalham alinhados com a equipe de reabilitação e com o apoio dos mais modernos recursos tecnológicos em termos de equipamentos cirúrgicos, eletrofisiologia e exames de imagem.

“Somos o primeiro centro do gênero a sistematizar o follow-up completo dos pacientes, realizando toda a cadeia de atendimento: indicação cirúrgica, avaliação pré-operatória com todos os exames necessários, serviços de neuroimagem, cirurgia com eletrofisiologia e seguimento pós-operatório – programação do DBS”, enfatiza o Dr. Rubens. Isso significa que os pacientes podem fazer seu tratamento em um único centro hospitalar, o que não é uma prática comum no mercado.

O implante dos eletrodos para estímulo às regiões disfuncionais do cérebro a fim de melhorar os sintomas é feito tanto no centro cirúrgico do Samaritano Higienópolis como do Samaritano Paulista. Após isso, os pacientes continuam sendo acompanhados pelos médicos do Núcleo para continuação do tratamento por meio de um programa conduzido por especialistas. “A cirurgia do DBS é só uma etapa do tratamento. A programação minuciosa do DBS após a cirurgia é tão ou mais complexa que o próprio implante”, afirma o Dr. Rubens.

Diferenciais do Núcleo de Parkinson e Distúrbios do Movimento

  • Neurologistas especializados no diagnóstico e tratamento dos vários tipos de distúrbios do movimento;
  • Avaliação e planejamento de diferentes tratamentos clínicos;
  • Equipe com ampla experiência na indicação e acompanhamento de casos cirúrgicos;
  • Atuação em dois hospitais: Samaritano Higienópolis e Samaritano Paulista;
  • O Samaritano Paulista conta com um amplo centro de reabilitação integrado, com piscinas, aparelhos de ginástica, robôs para reabilitação de marcha e membros superiores, entre outros recursos, além do acompanhamento por equipe multiprofissional especializada.

 *No mundo, a prevalência da doença de Parkinson gira em torno de 1,5% a 2% da população com mais de 55 anos. Estima-se que no Brasil o problema afete cerca de 250 mil pessoas.

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados