Radioablação

Radioablação: nova opção para tratar nódulos benignos da tireoide

Minimamente invasiva, técnica foi introduzida no Samaritano Higienópolis. Entre os benefícios, estão a preservação da função da glândula e a redução de riscos de complicações.

Procedimento minimamente invasivo, a técnica de radioablação para tratamento de nódulos benignos de tireoide foi implantada com sucesso no Hospital Samaritano Higienópolis. O primeiro procedimento do tipo foi realizado em maio, exatamente o mês dedicado à conscientização sobre doenças desta natureza, incluindo o Dia Internacional da Tireoide (25/05).

“A radioablação é indicada para nódulos grandes, sintomáticos e confirmados como benignos. É uma excelente alternativa para pacientes com comorbidades e restrições à cirurgia. O procedimento é realizado com sedação leve, por meio de um pequeno furo de agulha, e apresenta menos risco de complicações”, afirma o Dr. Guilherme Martins, coordenador da área de Radiologia Intervencionista do hospital, criada no fim de 2019. “É um avanço tecnológico importante, um tratamento minimamente invasivo que permite preservar a função da glândula”, diz o Dr. Eduardo Pinheiro Zarattini Anastacio, coordenador do Centro de Infusões, Medicina Diagnóstica e Ambulatórios de Especialidades do Samaritano Higienópolis.

Enquanto na cirurgia ocorre a retirada total ou parcial da tireoide, na radioablação o nódulo é reduzido, não interferindo no funcionamento da glândula. “Poder eliminar ou reduzir os sintomas e melhorar a estética do paciente preservando a função tireoidiana é um grande diferencial. No caso de extração total, a pessoa terá de fazer reposição hormonal pelo resto da vida, e cerca de um terço dos que têm parte preservada também precisam dos hormônios”, ressalta a Dra. Carolina Ferraz, endocrinologista do Centro de Tireoide do hospital, o primeiro centro multidisciplinar do Brasil focado no tratamento de doenças dessa glândula, com todo o suporte necessário para os pacientes e profissionais especialistas.

Guiado por ultrassom, o procedimento de radioablação é realizado em cerca de 40 minutos, e o paciente tem alta algumas horas depois. Uma corrente elétrica gera ondas de calor com temperatura entre 80 e 90 graus, causando uma necrose coagulativa nas células do nódulo. O efeito não é imediato. A redução, de até 80% de volume e tamanho, acontece gradativamente ao longo dos próximos seis a 12 meses.
 
Segundo o Dr. Guilherme, os nódulos muito grandes podem precisar de mais de uma sessão. Além disso, dependendo das características do nódulo, como aqueles com grande componente cístico, podem necessitar de um processo de preparação (alcoolização) para posterior realização da ablação. “Por isso, trabalhamos em conjunto com as equipes de Endocrinologia e de Cirurgia de Cabeça e Pescoço a fim de oferecer a melhor opção de tratamento ao paciente”, afirma.

Além de tireoide, o Samaritano Higienópolis realiza procedimentos ablativos para tratamento de nódulos de fígado, baço, rim, pulmão, em parceria com outras áreas, como a oncologia. “Estamos investindo cada vez mais em nosso Centro de Radiologia Intervencionista, dispondo de equipamentos e profissionais especializados em técnicas amplamente utilizadas em vários países do mundo”, destaca o Dr. Eduardo.

 

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados