Sama Paulista em destaque na CNN

Samaritano Paulista em destaque na programação da CNN

Reportagem de mais de 10 minutos mostrou a dedicação e o humanismo das equipes no atendimento de pacientes com COVID-19.

O Hospital Samaritano Paulista ganhou um amplo espaço no programa CNN Originals sobre a atuação dos hospitais públicos e privados no contexto da pandemia de COVID-19. A reportagem dedicou mais de 10 minutos ao trabalho desenvolvido no Samaritano, evidenciando a estrutura de assistência, a gestão, o preparo técnico da equipe multidisciplinar e a humanização no cuidado dos pacientes.

“O enfretamento desse vírus envolve medicina de alta complexidade e profissionais especializados. É recompensador para nossa equipe e muito positivo para nossa imagem esse tipo de divulgação, mostrando que estamos fazendo um bom trabalho”, afirma o Dr. Valter Furlan, diretor técnico do hospital.

Entrevistado no programa, ele falou sobre a estrutura para atender à demanda crescente, principalmente por leitos de UTI, um fator crítico por envolver equipamentos, médicos e enfermagem especializados. Para lidar com o desafio, o Americas Serviços Médico criou uma central que, quando necessário, direciona as transferências de pacientes para hospitais da rede com maior capacidade.  Também foi implantado um programa de telemedicina entre médicos dos diversos hospitais do grupo para ajudar na assistência geral. 

Segundo o Dr. Furlan, o planejamento foi fundamental para lidar com os novos desafios que vieram com a segunda onda da pandemia. O volume inesperado de internações e uso de leitos de UTI para a assistência a pacientes com COVID-19 coincidiu com um período de alta procura para tratamento de outras doenças. “Desde o início da pandemia no ano passado, criamos comitês que se reúnem diariamente para monitorar a ocupação do hospital, readequar fluxos se necessário e monitorar estoques de insumos, oxigênio e kits de intubação. São aspectos em que não pode haver falhas”, destaca ele.

Humanização

Outra dimensão ressaltada pela CNN foi a assistência humanizada da equipe da UTI, coordenada pela Dra. Lívia Melro. A reportagem acompanhou a médica durante o processo de intubação de um paciente (com imagem preservada), mostrando o cuidado e carinho desde o momento em que ele foi informado sobre a necessidade do procedimento (comunicação sempre recebida com apreensão pelos pacientes) até a intubação propriamente dita.

Sempre importante, a humanização ganha ainda maior relevância no contexto de uma doença contagiosa, que traz muita solidão para o paciente e angústia para a família devido à impossibilidade de visitas. No Samaritano, foi estabelecida a realização de um telefonema diário para os familiares com um boletim sobre a evolução do paciente ou, quando possível, para que o próprio paciente se comunique com os entes queridos, reduzindo a ansiedade da separação.

“Esse registro da realidade que vivemos no hospital expõe o que de fato é a doença. Isso contribui para que as pessoas entendam a gravidade da COVID -19, se sensibilizem e atendam aos apelos de não descuidarem das medidas de segurança”, observa o Dr. Furlan.

Cuidando de quem cuida

Desde o início da pandemia, a instituição também dedicou especial atenção às equipes assistenciais. Expostos ao desgaste emocional, incertezas e medos, os profissionais têm suporte psicológico à disposição, grupos de apoio e interação com os psicólogos em reuniões regulares. “Tivemos um importante apoio do UHG para montar essa estrutura. As equipes de assistência precisam ser cuidadas para que possam cuidar bem dos pacientes”, reflete o Dr. Furlan.     

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados