Samaritano Paulista

Samaritano Paulista tem programa pioneiro de reabilitação pós-Covid

Programa multidisciplinar e especializado recupera pacientes que, após a alta hospitalar, seguem com sequelas provocadas pela doença.

A recuperação da Covid-19 vai, muitas vezes, além da alta hospitalar. Vários pacientes, particularmente os que tiveram complicações e permaneceram internados por longos períodos, voltam para casa com sequelas que impactam sua saúde física, cognitiva ou mental. São problemas que podem envolver os sistemas respiratório, cardiovascular, nervoso e musculoesquelético, além de quadros de depressão e ansiedade, entre outros. Foi com foco nesses indivíduos que o Hospital Samaritano Paulista criou o Programa de Reabilitação Pós-Covid-19, desenvolvido em seu Centro de Reabilitação.

Com atendimento integrado, o programa conta com equipe multiprofissional, composta por fisiatras, cardiologistas, pneumologistas, neurologistas, otorrinolaringologistas, clínicos gerais, fisioterapeutas, educadores físicos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e psicólogos. Após uma avaliação inicial da equipe médica, o paciente é direcionado para o time multidisciplinar, de acordo com os sintomas apresentados. Com base nessas avaliações, além de exames eventualmente necessários, é elaborado um plano de tratamento personalizado. O objetivo é evidente: a plena recuperação da saúde e da qualidade de vida.

“As sequelas geradas pela Covid-19 são inúmeras, algumas ainda nem foram identificadas. Sem uma reabilitação adequada após a alta, os problemas podem tornar-se crônicos, comprometendo a autonomia e a qualidade de vida dos pacientes”, observa o Dr. Valter Furlan, diretor do Samaritano Paulista.

A recomendação é iniciar o programa de reabilitação logo após a alta hospitalar. “O cuidado nesse período é fundamental para agilizar a volta a uma vida normal e produtiva e evitar complicações futuras que podem levar a novas internações”, diz a Dra. Patrícia Vianna, fisiatra e coordenadora do Centro de Reabilitação do Samaritano Paulista. Ou seja, com a reabilitação, ganha o paciente e ganha o sistema de saúde, com menos custos associados ao tratamento de casos que, sem o cuidado adequado, evoluem para quadros mais graves ou demandam reinternações. “Esses benefícios também são obtidos com a reabilitação realizada ainda durante o período de internação. A reabilitação permite uma desospitalização precoce, que é benéfica para todos – paciente, hospital e sistema de saúde”, destaca Luana Ferreira, fisioterapeuta e supervisora do Centro.   

Entre os problemas mais comuns observados em pacientes pós-Covid-19 estão alterações cardiorrespiratórias, fraqueza muscular e perda de mobilidade, fadiga e comprometimento de nervos periféricos, além de impactos à saúde mental, como ansiedade, depressão, alteração de cognição e memória. 

Pioneirismo

O programa do Samaritano Paulista foi iniciado há cerca de 10 meses, durante a primeira onda da pandemia, mas com foco apenas em reabilitação cardiopulmonar. “Mas percebemos que os danos eram bem mais amplos e exigiam o envolvimento de outras áreas. Assim, fomos estruturando e aprimorando o trabalho”, conta a Dra. Patrícia.

O resultado é um serviço diferenciado, multidisciplinar, com suporte da completa infraestutura do Centro de Reabilitação do hospital. “Existem poucas iniciativas no mundo visando à recuperação das sequelas da Covid-19 de forma especializada e estrutuada. Estamos entre os pioneiros na criação desse tipo de programa. Também estamos envolvidos em atividades de pesquisa nessa área, participando de um estudo científico sobre as funcionalidades em pacientes acometidos pela Covid-19”, informa o Dr. Furlan.

Como funciona o programa

Depois das avaliações da equipe médica e multidisciplinar e elaboração do plano personalizado de tratamento, as sessões ocorrem em grupos de dois a quatro pacientes, conforme estratificação de risco e complexidade dos casos. Serviços de coaching, psicologia, fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia e enfermagem são planejados de acordo com o programa traçado para o paciente. “Os quadros pós-Covid-19 são muito variados, como tudo em relação a esse vírus. Por isso, embora exista um protocolo de atendimento, o plano de tratamento é individualizado, considerando as necessidades de cada paciente. Temos de avaliar caso a caso”, observa Luana.

Dependendo da complexidade do caso, o programa pode ser realizado por telemedicina ou de maneira presencial, em até três sessões semanais de 40 minutos. Em geral, a duração do programa de reabilitação varia entre três e quatros meses.

Além da expertise dos profissionais, os pacientes do programa do Samaritano Paulista contam com os mais modernos equipamentos e recursos para reabilitação de forma segura, teste de força muscular inspiratória máxima eletrônica, esteiras e bicicletas ergométricas, tecnologias para monitorização cardíaca, oximetria e equipamentos de oxigenioterapia, entre outros.

Como agendar consulta no Programa de Reabilitação Pós-Covid?

  • Telefone para agendamento: (11) 3003-2597
  • O serviço, atualmente disponível apenas para pacientes particulares, atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.
  • Endereço: R. Dr. Fausto Ferraz, 204-232 – Bela Vista – São Paulo (SP)
  • Para mais informações, acesse reabilitação@samaritanopaulista.com.br
INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados