Ortopedia Americas

Sistemas de Excelência, os motores que impulsionam a nossa qualidade

Em continuação à série, apresentamos o perfil da liderança que está à frente do Ortopedia Americas.

Ortopedia Americas

Depois de transformar o Alvorada Moema em um polo referência ortopédica, o Dr. Osvaldo Pires assumiu o Sistema de Excelência Ortopedia Americas com a missão de replicar na Rede Americas as lições aprendidas no hospital.

Filho de ortopedista, ele esteve sempre ligado ao meio. Desde pequeno ia com seu pai aos finais de semana passar visita aos pacientes internados nos hospitais. Sempre teve contato com grandes representantes da ortopedia nacional, como os professores Walter Manna Albertoni e Flávio Faloppa, sócios de seu pai no consultório. Essa foi sua inspiração para seguir pela ortopedia e traumatologia, definindo sua vida profissional.

A faculdade de Medicina, concluída em 1995, foi feita na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, no campus de Sorocaba (SP). Entre 1996 e 1998, fez residência no hospital universitário da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina, onde, um ano mais tarde, durante sua especialização em quadril, descobriu a paixão pelas próteses e pelas fraturas do fêmur proximal nos pacientes idosos.

“A prótese total de quadril é uma cirurgia que tem um resultado fantástico. Você transforma um paciente que não estava andando ou que andava com muita dor e o coloca para andar sem dor”, conta o Dr. Osvaldo, lembrando um trabalho publicado na The Lancet que mostrou que essa é a segunda cirurgia mais custo-efetiva da medicina, perdendo apenas para as cirurgias de catarata.

Nesses 20 anos dedicados à especialização, nos quais sempre combinou a prática médica com funções de ensino e de gestão, pôde assistir a uma evolução astronômica da área, que vem trazendo desfechos cada vez melhores. “Quando comecei a operar o quadril, o paciente ficava internado 10 dias ou mais e começava a andar só depois de alguns dias. Hoje, você opera de manhã, põe o paciente para andar à tarde e, no outro dia ele, está indo para casa”, exemplifica.

Mais avanços virão com o desenvolvimento da cirurgia robótica. O braço robótico para colocação de próteses totais de quadril e próteses totais e parciais de joelho (o Mako SmartRobotics™️, produzido pela Stryker) do Hospital Alvorada Moema, por exemplo, já foi comprado e, no dia 20 de setembro, foi realizada com sucesso a primeira cirurgia para substituição de prótese total de quadril assistida por ele.

Outro campo de interesse são as fraturas do idoso que, com o advento da radioscopia e novos implantes, têm tratamentos cirúrgicos menos invasivos e bons resultados.

No campo do ensino, o Dr. Osvaldo dedicou-se, entre 2005 e 2012, à coordenação da residência médica da Escola Paulista de Medicina e, entre 2012 e 2015, participou da Comissão de Ensino e Treinamento da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, tendo presidido essa comissão em 2014. Nesse ano, entrou também na Comissão de Ensino e Treinamento da Sociedade Brasileira de Quadril, sendo presidente dessa comissão entre 2016 e 2020. Entre 2017 e 2019, presidiu a Comissão de Preceptores da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Atualmente, é presidente da regional paulista da Sociedade Brasileira de Quadril e recentemente foi eleito como diretor-científico da entidade em nível nacional.

imagem

Dr. Osvaldo Pires, diretor do Ortopedia Americas

Construindo um polo ortopédico

A relação do Dr. Osvaldo com o Hospital Alvorada Moema remonta a 1998, quando ele começou a fazer plantões na instituição, ainda no seu terceiro ano de residência. Já em 2001, tornou-se coordenador da ortopedia do pronto-socorro. Nesse início de carreira, trabalhou também na Clínica Ortopédica Pinheiros e no Hospital São Luiz, onde coordenou a emergência da ortopedia. A partir de 2005, passou a se dedicar exclusivamente ao Alvorada Moema, assumindo o desafio de transformá-lo em uma referência em ortopedia. “Trabalhamos os primeiros anos focados em entender o que seria preciso para efetuar essa transformação”, pontua o Dr. Osvaldo.

A partir de 2010, elementos desse processo de construção de uma ortopedia mais robusta tornaram-se mais evidentes. Entre outras iniciativas, foram instituídos protocolos e indicadores clínicos para prótese de quadril, joelho e artrodese lombar, como tempo médio de permanência, taxa de utilização de UTI, uso de antibiótico antes da cirurgia, número de reinternações e reoperações. “Entendemos que, se não mostrássemos resultados de qualidade e segurança, não iríamos conseguir fazer o hospital crescer como um centro ortopédico”, diz o Dr. Osvaldo.

Também fez parte desse processo de transformação a criação do ambulatório de ortopedia, a incorporação pioneira no hospital de todo o material cirúrgico de trauma, a implantação de índices de satisfação dos pacientes por subespecialidades e por médicos e a mudança do pronto atendimento, que internalizou todos os plantonistas, garantindo uma melhor uniformização de cultura e boas práticas hospitalares. “A equipe de retaguarda cirúrgica também não é de nenhuma clínica; é toda do Alvorada Moema, organizada por subespecialidades”, detalha.

Além disso, foi montada uma equipe multidisciplinar para o acompanhamento dos pacientes idosos com fraturas cirúrgicas, da qual fazem parte ortopedista, anestesista, geriatra, nutróloga, enfermeira, fisioterapeuta motor, fisioterapeuta respiratório, nutricionista, fonoaudióloga e suporte administrativo. Esses pacientes ficam sob o cuidado dessa equipe desde a chegada ao pronto-socorro até a alta do hospital, trazendo melhor qualidade para o cuidado, maior segurança e melhores desfechos.

O futuro é a excelência

Em menos de uma década, a reestruturação da ortopedia do Alvorada Moema deu certo e os números podem provar. “Tínhamos em 2012 um volume cirúrgico pequeno, que se multiplicou ano a ano, alcançando, em 2019, antes da pandemia, a marca de 500 cirurgias/mês”, contabiliza o Dr. Osvaldo, lembrando que, desde a aquisição do hospital pelo UnitedHealth Group Brasil, a unidade hospitalar foi definida como um centro ortopédico. 

E foi justamente por ter conduzido essa jornada vitoriosa de transformação da instituição que o Dr. Osvaldo foi convidado a assumir a liderança do Sistema de Excelência em Ortopedia do Americas. Sua missão? Disseminar as lições aprendidas no Alvorada Moema em toda a rede hospitalar do grupo.

“Estamos comprometidos em oferecer os melhores cuidados aos nossos pacientes a partir de uma perspectiva 360°. Ou seja, uma assistência de excelência, baseada em evidências científicas e monitorada por indicadores, seja no pronto-socorro, no ambulatório, nas intervenções cirúrgicas, não cirúrgicas ou na reabilitação”, conta o Dr. Osvaldo.

Nessa jornada, assume centralidade a implantação, em todos os hospitais da Rede Americas, das quatro linhas de cuidado ortopédico que já existem no Alvorada Moema: osteoartrose de joelho, osteoartrose de quadril, prevenção da segunda fratura do idoso e dor lombar baixa. “Temos também outros protocolos a serem compartilhados. Nossos manuais de boas práticas cobrem todas as patologias ortopédicas para além das linhas de cuidado”, destaca o Dr. Osvaldo. “Outro fator decisivo para oferecermos esse cuidado 360° é fortalecemos nossos espaços de outpatient, incluindo serviços de ambulatório e reabilitação. Trata-se de melhorar as estruturas já existentes e criar novas onde não temos”, acrescenta.

Para cumprir esses desafios, Dr. Osvaldo diz contar com um grande trunfo: “temos uma equipe médica e multidisciplinar de qualidade e estamos trazendo novos reforços para o nosso time. Juntos, vamos trabalhar em prol da excelência, que será sempre o nosso objetivo e o nosso diferencial no cenário da ortopedia brasileira.”  

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados