Oncologia

Sistemas de Excelência, os motores que impulsionam a nossa qualidade

Nesta e na próxima edição, apresentaremos o  perfil das lideranças que estão à frente das linhas de cuidados nas várias especialidades de referência do Americas, com excelência na execução e padronização das melhores práticas. Começamos aqui com Oncologia, Nefrologia e Transplantes.

Organizadas em torno de Sistemas de Excelência, as especialidades de referência do Americas – Oncologia, Neurologia, Cardiologia, Ortopedia e Bucomaxilofacial, Materno-Infantil, Nefrologia e Transplantes – estão multiplicando pelas unidades hospitalares do grupo as melhores práticas, processos e padrões comuns em cada uma dessas áreas. A meta é oferecer aos pacientes o que há de melhor na medicina a partir de um modelo assistencial unificado, sustentável e cada vez mais capaz de atingir os melhores desfechos.

Esse trabalho é conduzido em cada um dos sistemas por destacadas lideranças que respondem diretamente ao CEO da rede e atuam ombro a ombro com os diretores regionais, em um modelo matricial e de estreita parceria com os times locais das unidades que possuem serviços das suas especialidades. São, inclusive, responsáveis por atrair talentos e desenvolvê-los, além de implantar indicadores comuns e estimular a produção científica dessas áreas. Funcionam, enfim, como os maestros, orquestrando a excelência que segue em curso nas unidades da rede Americas.

Nesta edição, você poderá conhecer um pouco mais sobre as lideranças e o trabalho dos Sistemas de Excelência de Oncologia, Nefrologia e Transplantes.

Oncologia Americas
Quando assumiu o Oncologia Americas em outubro de 2020, o Dr. Fernando Meton logo iniciou o planejamento estratégico da especialidade. Tratou de mapear os pontos fortes da especialidade, identificar oportunidades de melhoria nas várias unidades do grupo, prospectar novos médicos, iniciar a padronização dos indicadores operacionais que norteiam o trabalho das várias equipes e também acompanhar o resultado financeiro do sistema, os índices de satisfação dos pacientes oncológicos e a produção científica na área. Tudo isso permitiu estabelecer um programa de trabalho para os próximos cinco anos, focado sempre em alinhar todas as unidades hospitalares e ambulatoriais com serviços oncológicos rumo ao objetivo de semear a excelência.

O tamanho do desafio foi proporcional à seriedade com o qual o Dr. Fernando Meton abraçou a empreitada. Para ele, é mais um importante passo na trajetória profissional iniciada em 2002, quando se formou em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza. “Desde jovem, sentia uma necessidade de cuidar das pessoas e imaginei que, na Medicina, teria a oportunidade de fazer isso, mais do que em qualquer outra profissão”, afirma o Dr. Meton, destacando que a Oncologia veio para tornar esse ideal uma prática profissional concreta.

Ainda em seu processo de formação, começou a participar de cirurgias oncológicas e também a integrar a equipe do laboratório de Oncologia experimental da faculdade, onde iniciou sua trajetória científica, promovendo estudos in vitro e em cobaias relacionados a novas drogas e à genética do câncer. “Ao longo da faculdade, acabei me encantando com área clínica, tornando-se natural minha inclinação para seguir essa linha no tratamento de câncer”, detalha. A Medicina perdeu um cirurgião e ganhou um oncologista clínico.

“Eu via que eu podia fazer a diferença na vida das pessoas com câncer, em geral muito fragilizadas pela doença”, pontua. “Outro fator decisivo é que a Oncologia não se dedica a uma área específica do corpo. O oncologista tem de ser um excelente clínico geral, sem contar que há um lado muito forte em farmacologia e em genética, área que sempre me interessou bastante, além de toda a questão da vanguarda tecnológica e das novas descobertas da Medicina”. 

A primeira residência em Clínica Médica foi realizada no Hospital Universitário Walter Cantídio, da UFC, em 2005. A segunda, em Oncologia Clínica, foi concluída dois anos mais tarde no Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Rio de Janeiro, cidade para qual se mudou. No INCA, também realizou fellowship em pesquisa clínica e tornou-se pesquisador bolsista, mergulhando no mundo da pesquisa. A trajetória brilhante nesse campo rendeu o convite para assumir a supervisão médica do instituto no âmbito da pesquisa clínica e, mais tarde, na gerência médica da pesquisa clínica.

Ainda no final da residência, começou a frequentar o então denominado grupo COI (atualmente Oncologia Americas), um núcleo privado de assistência oncológica, que o convidou para montar um instituto de educação e pesquisa. “Tornei-me o fundador e o primeiro diretor do Instituto de Educação e Pesquisa, um dos pontos de minha carreira de que me orgulho muito”, diz o Dr. Meton.  Foi nessa época (2011) que defendeu o mestrado em Clínica Médica com foco em Onco-hematologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O passo seguinte foi assumir a diretoria médica do COI. “Comecei aí minha vida de gestão, conduzida paralelamente às minhas atividades assistenciais e de pesquisa. Desliguei-me do INCA para me dedicar exclusivamente ao COI”, recorda. Data dessa época o MBA em gestão de saúde pela COPPEAD/UFRJ, entre outras formações executivas e financeiras. No campo da gestão, vale citar ainda postos administrativos na Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, incluindo presidência e vice-presidência do capítulo Rio de Janeiro.

Após a aquisição do COI pelo UnitedHealth Group Brasil, em 2015, o Dr. Meton assumiu a direção executiva do Oncologia Americas, acumulando hoje sua coordenação nacional e das unidades do Rio de Janeiro e, mais recentemente, também do Sistema de Excelência. “O desafio colocado, e que todos nós queremos, é nos tornarmos o melhor grupo de Oncologia nacional”, enfatiza o Dr. Meton. “Isso implica a criação de uma linha de cuidado coordenada e integrada, a partir da qual podemos garantir toda a jornada do paciente, desde o diagnóstico até a cura ou cuidados paliativos, passando por todas as etapas do atendimento multidisciplinar”, detalha.

Nessa caminhada, o Oncologia Americas já conta com alguns trunfos, a começar pela média nacional de satisfação dos pacientes, com Net Promoter Score (NPS) de 92, sendo altíssimo em todas as unidades. Também merecem destaque o parque de radioterapia do Rio de Janeiro, que é hoje referência na América Latina tanto em termos de qualidade como em volume de pacientes tratados; o Specialty Pharmacy, um dos maiores projetos do Brasil de distribuição de medicamentos orais para pacientes via delivery; e a destacada participação em pesquisas clínicas, por meio dos dois centros de pesquisa (um no Rio de Janeiro e outro em São Paulo).

Para o futuro, virão novidades, como o lançamento de novas unidades de atendimento oncológico em Brasília, São Paulo e duas no Rio de Janeiro, na virada deste ano, e a reestruturação e expansão de endereços já existentes, como a ampliação dos serviços oncológicos no Samaritano Higienópolis, que vai ganhar nova ala para consultórios e um novo centro de infusão.  Além disso, está em planejamento a criação de um parque de radioterapia na cidade de São Paulo, novos programas de diagnóstico precoce do câncer e cuidados paliativos, além de parcerias com outros dos nossos sistemas, que irão propiciar programas inéditos, como o atendimento para Cardio-oncologia.

“Tenho muito orgulho de atuar nesse projeto de excelência oncológica, fazendo parte da maior empresa de saúde do mundo e que, no meu país, será líder em Oncologia”, finaliza o Dr. Meton.

 

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados