telemedicina

Telemedicina: cuidados de saúde na era digital

Aberta a todos os pacientes, plataformadigital incrementa a oferta de serviços que reforçam a segurança e efetividade dos tratamentos.

Depois da bem-sucedida experiência no acompanhamento de pacientes com COVID-19, o Americas dá um novo passo importante na estratégia de digitalização e ampliação dos serviços oferecidos pelos hospitais de sua rede: no dia 16 julho, a plataforma AmericasDigital será aberta para todos os pacientes, propiciando a eles novos pontos de contato com o mundo da saúde. Para os médicos, a novidade chega como um reforço para a gestão da saúde e a segurança dos seus pacientes.Para as fontes pagadoras, a tecnologia representa uma nova forma de evitar retrabalhos e custos duplicados, além de colaborar na condução adequada dos tratamentos de seus beneficiários.

A plataforma do Americas para Telemedicina já comprovou sua utilidade e eficiência durante a pandemia. Por meio dela, está sendo oferecido desde abril o serviço de monitoramento e suporte a distância aos pacientes em isolamento domiciliar com suspeita ou confirmação de infecção pelo coronavírus, sem custos adicionais para eles ou para as fontes pagadoras.Nesse primeiro momento, o foco foram os pacientes que passaram pelos hospitais da rede devido à infecção por COVID-19 ou suspeita, tendo sido cadastrados no serviço pelas equipes médicas.

“Agora, com a abertura da plataforma, os pacientes poderão se cadastrar diretamente no sistema, usufruindo de um crescente número de serviços à sua disposição. Estaremos mais próximos dos nossos pacientes para ouvir suas necessidades e atendê-las”, afirma o Dr. André Paranzini, diretor de Operações e Telemedicina.

Monitoramento a distância

Inicialmente,estarão disponíveis os serviços de Pronto Atendimento Virtual, para consulta a distância com os plantonistas da rede; agendamento de consulta ambulatorial com médicos das várias especialidades; e o monitoramento remoto de pacientes. “Vamos aplicar toda a expertise que adquirimos no atendimento virtual dos pacientes com COVID para monitorar e dar suporte a pacientes com outras patologias”, destaca o Dr. Tiago Frigini, gerente médico de Telemedicina.

Com esse recurso tecnológico, que se valerá da análise periódica de dados clínicos fornecidos eletronicamente pelos pacientes, utilizando inteligência artificial, é possível planejar e executar planos de cuidados para indivíduos com quadros agudos ou doenças crônicas. O primeiro é especialmente importante para o enfrentamento das doenças tempo-sensíveis, como o AVC e as patologias cardiológicas. “Um paciente de baixo risco que vai ao pronto-socorro com dor no peito não está enfartando naquele momento, mas preenche critérios para o cateterismo sem urgência. Essa pessoa certamente será beneficiada pela nossa plataforma de monitoramento, que ajudará a programar com mais eficiência a sua cirurgia”, exemplifica o Dr. Tiago.

Os benefícios do monitoramento a distância se estendem aos pacientes crônicos, que passam a ser acompanhados para além das consultas periódicas ambulatoriais,que continuam indispensáveis. A ocorrência de eventuais descompensações clínicas nesses intervalos pode ser prontamente identificada a partir da análise das informações que são encaminhadas eletronicamente pelo paciente, evitando complicações dos casos, idas desnecessárias ao pronto-socorro e eventuais internações.

A plataforma também será usada para o acompanhamento pré e pós-cirúrgico, recurso que aprimora a segurança e qualidade do atendimento do paciente e também ajuda a acelerar os processos administrativos e operacionais internos dos hospitais.

Quebrando barreiras

A plataforma digital representa um novo paradigma. Com ela, os hospitais da rede Americas e suas equipes médicas poderão cuidar das pessoas para além dos muros das instituições, o que também contribui para controlar a inflação crescente dos custos de saúde. Ao seguir essa rota, o grupo pretende consolidar-se como uma rede médica de excelência,capaz de conciliar dois conceitos-chave para continuar atraindo mais pacientes: qualidade e custo-efetividade.

Para os médicos do Americas, já habituados a usar aTelemedicina em discussões de casos entre especialistas e em huddles interáreas, como no caso das UTIs, a plataforma digital funcionará como instrumento de apoio para sua prática e como um meio para se aproximarem ainda mais dos pacientes, aumentado sua presença em todo ciclo de cuidado – da prevenção e tratamento das doenças até as ações posteriores, para assegurar quese mantenham saudáveis. Esse, certamente, é um bom caminho para fidelizá-los. Atualmente, ainda é comum a perda de contato entre médico e paciente depois da resolução de situações agudas, por exemplo.

“Com a plataforma, nossos médicos saberão que seus pacientes estarão bem acompanhados,mesmo a distância. Terão, inclusive,mais segurança para mandá-losde volta para casa”, ressalta o Dr. André, lembrando que nada muda com relação à oferta e ao forma todos atendimentos presenciais. “Os serviços da plataforma vieram para incrementar o atendimento ofertado pelo nosso corpo clínico. Muitos pacientes estão agora descobrindo e experimentando os serviços de Telemedicina, que passaram a ser explorados com a regulação vigente por conta da pandemia”, acrescenta ele.

Após a pandemia, uma nova regulação definirá quais serviços poderão continuar a ser disponibilizados nessa modalidade. “Enquanto isso, o Americas avança no processo de digitalização de toda a jornada do paciente e do médico dentro dos seus hospitais. Novos recursos e facilidades já estão em preparação”, informa o Dr. Tiago. “A digitalização é uma tendência que agrega benefícios a todos os elos do sistema de saúde. Não podemos deixar que as pessoas vinculadas à rede Americas fiquem fora disso” finaliza o Dr. André.

INS_noticia-interna_profile-writer
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados