Sala de UTI

UTI do Samaritano Higienópolis: entre as melhores do Brasil

Com indicadores que superaram os benchmarks nacionais, unidade conquistou mais uma vez o Top Performer da Epimed.

As Unidades de Tratamento Intensivo do Samaritano Higienópolis estão entre as melhores do Brasil, como atesta a conquista, pelo quinto ano consecutivo, do Top Performer, concedido pela Epimed para instituições de alta eficiência. “Estamos nesse seleto time desde 2017, quando a premiação foi criada”, afirma o Dr. Maurício Jordão, diretor médico do hospital. Os indicadores são acompanhados mensalmente e comparados com os benchmarks do Sistema Epimed Solutions, ferramenta de gestão e análise de dados que contempla informações de mais de duas mil UTIs de sete países.

“Processos assistenciais e administrativos bem definidos e atendimento baseado em protocolos estão por trás dessa conquista, que sinaliza também que a excelência é uma prática diária exercida na unidade pelas equipes médicas e multiprofissionais”, destaca o Dr. Maurício. “Até nos momentos mais graves da pandemia de COVID -19, como no mês de abril de 2021, quando trabalhamos no limite de recursos humanos e de estrutura do setor de terapia intensiva, mantivemos ótimos resultados comparados a hospitais com acreditação internacional e UTIs Top Performer”, completa Dra. Samantha Longhi Simões de Almeida, gerente médica das UTIs.

O desempenho diferenciando da UTI do Samaritano Higienópolis se sobressai ainda mais pelo fato de ter sido obtido sem o uso recorrente da ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), como ocorreu nas demais unidades do Brasil e do mundo. “Usamos outras estratégias de ventilação à base de óxido nítrico e obtivemos respostas muito interessantes”, pontua o Dr. Maurício.

Indicadores em foco

A comparação dos indicadores da UTI do Samaritano Higienópolis com os de outras instituições mostra claramente porque ela está entre as melhores.

Um exemplo é a relação entre o SAPS3 – escore de gravidade dividido por tercis (gravidade baixa, moderada e alta) – e a Taxa de Mortalidade Padronizada (SMR). No SAPS3 de gravidade baixa, o SMR manteve-se em zero ao longo de todo o ano de 2021. “Isso significa que nenhum paciente de baixa gravidade morreu na nossa UTI”, explica o Dr. Maurício. Quando se comparam os resultados de abril (mês com enorme número de casos de COVID-19 no ano passado) com os de instituições com acreditação da Joint Commission Internacional (JCI) no mesmo mês, o excelente desempenho do Samaritano fica ainda mais evidente: 0 x 13,1. A vantagem se mantém na comparação com as UTIs Top Performer: 0 x 4,61. O Samaritano Higienópolis também ficou na dianteira nos tercis de gravidade moderada e alta ao longo de todo o ano.

 

 

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país

Acontece Americas

Conteúdos relacionados