Junho Laranja

Álcool: o ‘mocinho’ também pode virar ‘bandido’


Neste Junho Laranja, especialistas alertam: com o maior uso do álcool para prevenir o coronavírus, aumentou também o número de casos de queimaduras provocadas pela falta de cuidado na utilização do produto.

Acidentes em casa, no trabalho e, às vezes, em momentos de lazer, como o churrasco com amigos, podem provocar queimaduras sérias, com risco de sequelas físicas e emocionais e até de morte. Prevenir tais ocorrências é o objetivo do Junho Laranja, mês dedicado à conscientização sobre como evitar os acidentes com queimaduras, e também do Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras (6 de junho).

“A queimadura é uma patologia muito frequente e altamente evitável, causada, na maior parte, por acidentes domésticos, por contato com chamas ou superfícies aquecidas”, afirma o cirurgião plástico Dr. Ricardo de Lauro Machado Homem, do Hospital Alvorada Brasília. De um descuido banal, pode originar-se uma queimadura grave, que demanda um tratamento longo e complexo, envolvendo internação, cirurgia (às vezes várias seguidas) e eventuais sequelas permanentes.   

Dentre os vários cuidados importantes, está a atenção no manuseio de produtos inflamáveis, como o álcool em gel e as versões líquidas 70% e 94% que passaram a fazer parte da nossa rotina em razão da pandemia. Fortemente recomendado para higienização e proteção contra infecções pelo coronavírus, o produto pode se tornar um vilão: mal utilizado, é um potencial gerador de acidentes com queimaduras. “Houve aumento de ocorrências desse tipo causadas por álcool devido ao maior acesso ao produto em versões com maior concentração, ao seu uso sem atenção necessária ou ao armazenamento em locais inadequados, como próximos de chamas ou facilmente acessíveis pelas crianças”, destaca o Dr. Ricardo.
No caso do álcool em gel, as consequências podem ser agravadas pela dificuldade de interromper as chamas devido à consistência do produto, que dificulta sua remoção. “A gravidade da lesão é proporcional ao tempo de exposição e temperatura do agente causador. Em geral, todos os tipos de álcool têm potencial para causar acidentes graves, com queimaduras de 2º e 3º graus em áreas extensas”, alerta o médico.  

Como evitar acidentes com álcool e outros produtos e em outras situações que fazem parte do nosso dia a dia? Confira as dicas do Dr. Ricardo.

Que cuidados tomar com o álcool?
- Não vá cozinhar ou acender um cigarro logo depois de passar álcool em gel nas mãos.
- Não use álcool para acender a churrasqueira ou uma fogueira.
- O álcool, assim como qualquer produto químico ou inflamável, deve ser guardado em ambiente seco e arejado, longe de fontes de chamas, do alcance de crianças ou pessoas sem condições de discernimento do perigo.

Que cuidados tomar de maneira geral?
- Muita atenção na cozinha, especialmente com as crianças, que devem ser mantidas longe do ambiente quando o fogão estiver em uso.
- Não deixe o cabo das panelas para fora e prefira usar as bocas da parte de trás do fogão.
- Cuidado ao acender o forno: verifique se a chama foi acesa de fato para não deixar o gás vazando.
- Feche o registro de gás quando não for utilizar o fogão ou o forno.
- Mantenha o ferro de passar roupas fora do alcance das crianças, mesmo desligado.
- Não fume na cama.
- Cuidado com comida quente. Macarrão do tipo lamen, por exemplo, é um poderoso retentor de calor e causador de queimaduras, principalmente em crianças.

O que fazer em caso de acidente com queimadura?
- Seja qual for a fonte (álcool, óleo, fogo, etc.), interrompa o processo de queimadura com água ou abafando com pano.
- Resfrie o local com água corrente e proteja com pano limpo e seco.
- Nunca passe nada na queimadura (pomada, creme dental, plantas, clara de ovo, etc.). Qualquer substância não indicada pode agravar o quadro.
- Procure sempre atendimento médico, mesmo que pareça uma lesão simples, para realização do curativo de forma correta, indicação de medicamento para a dor, se necessário, e cuidados para prevenir infecções. No atendimento, o profissional também irá avaliar a necessidade de vacina contra tétano, que tem validade de 10 anos. Lembre-se: mesmo uma lesão simples pode inflamar, infeccionar e se tornar muito mais grave, às vezes, necessitando de raspagem, cirurgia ou enxerto de pele.   

Saiba o que significam os graus de queimadura

  • 1º grau: ocorre na camada superficial da pele.
  • 2º grau: atinge camadas mais profundas da pele.
  • 3º grau: afeta a espessura total da pele, podendo ou não atingir tecidos mais profundos.

Atendimento especializado no Alvorada Brasília
O Hospital Alvorada Brasília é um exemplo de instituição preparada para o atendimento de pacientes com queimaduras e tratamento de casos de baixa e média complexidade. A instituição conta com um Ambulatório de Curativos e Feridas, que integra o seu Ambulatório de Especialidades. Lá atua uma equipe de cirurgiões plásticos especializados em feridas de queimaduras. Além de realizar procedimentos e acompanhar os pacientes durante toda a recuperação, esses profissionais também assessoram em tempo integral os cirurgiões do Pronto-Socorro no atendimento dos pacientes com queimadura que buscam o serviço de urgência. Enxertos de pele e curativo a vácuo (que acelera o processo de cicatrização) estão entre os tratamentos disponibilizados.

Hospital Alvorada Brasília
Endereço: SHCS EQ 710/910 Conjunto B, SHCS, Brasília ( DF)
Telefone: (61) 3799-1000

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país