Imagem de uma dentista apontando uma luz no rosto de um paciente

Câncer e saúde bucal: Cuidado redobrado

28/02/2018 - 2 minutos de leitura

A última coisa em que um paciente vai pensar, ao ser diagnosticado com um tumor, é marcar uma consulta com um dentista. Mas, saiba que essa deve ser uma preocupação primordial. Entenda os motivos

Existem duas fortes razões para colocar a avaliação bucal no topo da lista de prioridades, antes mesmo de iniciar o tratamento oncológico. A primeira delas é que tanto o câncer quanto seu tratamento podem promover queda na imunidade. Daí que há risco de uma simples infecção oral evoluir para um quadro de sepse, uma reação generalizada muito grave.

A segunda é que a quimioterapia e a radioterapia têm potencial de agredir a cavidade oral, desencadeando um quadro conhecido como mucosite, caracterizado por úlceras na mucosa oral. Bastante dolorosa, ela dificulta a alimentação, o que é especialmente preocupante em um indivíduo já debilitado pela enfermidade.

Em resumo, a avalliação bucal é mandatória para certos pacientes e altamente recomendada para os demais. E o ideal é que ela seja realizada antes do início do tratamento. A seguir, o Dr. Héliton Spíndola, cirurgião-dentista e responsável pelo setor de medicina bucal do Americas Centro de Oncologia Integrado (RJ), esclarece para quem a precaução é obrigatória e quais as medidas adotadas para prevenir ou contornar eventuais complicações.

Alerta em dobro

Os cuidados com a boca são importantes para todos as pessoas diagnosticadas com câncer, mas há três condições específicas que requerem cautela redobrada:

Câncer nas regiões da cabeça e do pescoço: a radioterapia em altas doses pode gerar um comprometimento ósseo, dificultando a regeneração dos tecidos após uma extração dentária. Por isso, é preciso diagnosticar e tratar qualquer alteração na cavidade oral antes da intervenção terapêutica, quando a recuperação é mais garantida.

Tratamento com inibidores de osteólise, diante de metástase óssea: essa classe de medicamentos também interfere no metabolismo ósseo e pode prejudicar a recuperação, depois de uma extração. Portanto, o melhor é se antecipar para detectar e tratar eventuais problemas dentários, antes de começar a administração do medicamento.

Doenças onco-hematológicas com indicação de transplante de medula óssea: antes do transplante, o paciente é submetido a altas doses de quimioterapia para destruir a medula óssea alterada e reduzir a imunidade, a fim de evitar a rejeição das novas células. Ou seja, dá para imaginar como as defesas do organismo ficam vulneráveis a qualquer micro-organismo nocivo — inclusive, os que podem estar presentes na boca. Essa é a razão pela qual é essencial se certificar de que não há nenhum foco de infecção.

Também vale o cuidado

Mesmo para quem não se encaixa nos grupos de maior risco, a avaliação bucal após o diagnóstico de câncer é altamente recomendada. A doença, em si, prejudica o sistema imunológico. E recursos terapêuticos como quimioterapia e radioterapia podem enfraquecê-lo ainda mais. Ou seja, é mais do que sensato se assegurar de que não há nenhum foco infeccioso na cavidade oral. Além disso, o dentista tem o importante papel de fornecer orientações de prevenção da mucosite, evitando os prejuízos mencionados anteriormente. Então, sem sombra de dúvida, é prudente agendar uma consulta.

Em casa

Descartado qualquer problema inicial, o dentista irá orientar o paciente sobre a higienização: uso rigoroso de escova e fio dental depois de cada uma das refeições. Outra recomendação importante é evitar alimentos ácidos ou muito condimentados, como pimentas e temperos fortes, pois eles potencializam a agressão à mucosa, aumentando a propensão à mucosite.

Caso esteja tudo em ordem, o dentista irá solicitar um retorno em seis meses, salvo para os grupos de maior risco, em que o acompanhamento é feito diariamente no hospital.

Mas, se nesse meio tempo, a pessoa sentir ardência na boca, é preciso entrar em contato com o especialista para descartar mucosite e candidíase bucal, que são frequentes durante o tratamento. Inchaço e sangramento na gengiva, dor de dente ou qualquer outra alteração também merecem uma investigação imediata.

Imagem da marca do Americas Serviços Médicos
Autor Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-Hospitalar do país.