Imagem ilustrativa de um fígado humano.

Cirrose além do alcoolismo

02/04/2018 - 2 minutos de leitura

Outras condições podem desencadear a doença e evitá-las faz parte da prevenção.

O consumo abusivo de álcool é o primeiro fator que se associa à cirrose hepática, uma doença que começa com uma inflamação no fígado, evolui para um processo de fibrose (formação de cicatrizes) e a consequente destruição das células do órgão. Quando chega a esse ponto, a única saída é o transplante de fígado.

Tão perigoso quanto beber demais são os vírus das hepatites B e C, agressivas ao tecido. E, também, a chamada esteatose hepática, que é a infiltração de gordura no fígado, mais frequente em pessoas obesas, com altas taxas de colesterol ou de açúcar no sangue (doença metabólica).

A primeira orientação é, portanto, vacinar-se contra hepatite, praticar sexo seguro, usar seringas descartáveis e seus próprios acessórios de manicure, para evitar o contato com o vírus. A segunda é manter um peso adequado, com prática regular de atividade física e uma alimentação balanceada — rica em legumes, verduras, frutas e cereais e pobre em alimentos gordurosos e industrializados.

É preciso, também, ter consciência de que a cirrose tende a ser silenciosa em seus estágios iniciais. A tendência é que ela só provoque sintomas em uma fase avançada, quando a única solução é o transplante de fígado.

Portanto, se você tem diagnóstico de hepatite ou estatose, a prioridade é controlá-las, sob a orientação de um hepatologista. O mesmo vale para pessoas que apresentaram alterações hepáticas em exames de rotina, como os de imagem ou de sangue. Homens com mais de 45 anos e pessoas com histórico da enfermidade na família devem redobrar a atenção, pois são mais suscetíveis.

É importante ressaltar que infecções virais, certas doenças autoimunes e uso de determinados medicamentos também são nocivos ao fígado, com potencial de desencadear cirrose. Na dúvida, o melhor é conversar com seu médico a respeito.

Se a prevenção falhar, é necessário identificar os sintomas da cirrose o quanto antes, que incluem inchaço no abdômen, coloração amarelada na pele, perda de apetite, tosse ou vômito com sangue, fadiga e emagrecimento.

Uma vez diagnosticada a doença, o médico tentará barrar a progressão da doença, atuando nos fatores agressores. Isso significa, por exemplo, tratar as doenças citadas anteriormente, combater infecções e orientar a exclusão do álcool, entre outras medidas.

Fonte: Dra Catia Rejânia, gastoenterologista do Hospital Samaritano Higienópolis, em São Paulo.

Logo do Americas Serviços Médicos
Autor Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-Hospitalar do país.