Dez_Laranja

Hora de falar sobre câncer de pele

O Dezembro Laranja nos lembra a importância da prevenção e do diagnóstico precoce desse câncer, que é o mais incidente em nosso país.

Viver num país tropical como o nosso, com presença do sol na maior parte do ano, é um privilégio. Mas para aproveitar apenas o lado bom disso é preciso estar atento a um aspecto mais sombrio: o excesso de exposição ao sol, com seus raios ultravioleta, é o principal fator de risco para o câncer de pele, foco da campanha do Dezembro Laranja, que busca conscientizar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce.

“A campanha acontece num bom momento, pois a chegada do verão traz uma exposição ao sol maior e mais intensa, tornando o alerta ainda mais fundamental”, observa o Dr. Gustavo Godoy, coordenador da Oncologia do Hospital Santa Joana Recife, uma das unidades do grupo Americas.

No Brasil, o câncer de pele é o mais incidente, respondendo por cerca de 30% de todos os tumores malignos diagnosticados no país. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), este ano serão quase 177 mil novos casos de câncer de pele não melanoma e perto de 8,5 mil do tipo melanoma, o mais agressivo.

A boa notícia é que medidas simples ajudam a prevenir a doença e que as chances de cura são elevadas quando diagnosticada precocemente. Por isso, é importante consultar anualmente um dermatologista ou um oncologista para exames e orientações, além de fazer um autoexame da pele regularmente.

Quais são os tipos de câncer de pele?

  • Carcinomas (tipo não melanoma)

Existem dois tipos: o carcinoma basocelular e o carcinoma epidermoide. Esses tumores surgem em peles constantemente atingidas por raios solares ao longo da vida e têm aspecto crostoso ou similar a verrugas (salientes). São os cânceres de pele mais comuns e menos agressivos. Mas sem tratamento adequado podem causar mutilações por exigir cirurgias maiores ou se tornarem inoperáveis por estarem próximos a partes do corpo que não permitem sua retirada, como cérebro e olhos.

  • Melanoma

É o tumor de pele mais agressivo, com possibilidade de gerar metástases, ou seja, se espalhar para outros órgãos. Segundo o Dr. Gustavo, o melanoma é geralmente causado pela exposição intensa e contínua ao sol. Pessoas que ficam horas seguidas em horários não recomendados, culminando com vermelhidão ou queimaduras, estão mais sujeitas a esse tipo de tumor, especialmente exposições dessa intensidade e intermitentes, ou seja, indivíduos que vão para a praia no verão e todo verão sofrem essas queimaduras.

Como prevenir?

  • Evite tomar sol no período entre 9 e 16 horas
  • Use protetor solar com Fator de Proteção 30, no mínimo, sempre que sair de casa, não importa se é verão ou inverno, nem se o dia está ensolarado ou nublado.
  • Crianças precisam da mesma proteção. Além disso, a prática ajuda a criar um hábito que elas levarão para a vida adulta.
  • Na praia ou piscina, procure ficar na sombra e reaplique o protetor solar sempre que sair da água ou a cada duas horas.
  • Não esqueça de proteger também os lábios. Há filtros solares especiais para essa área.
  • Use óculos de sol e roupas com proteção UV, boné ou chapéu.  

Segundo o Dr. Gustavo, as medidas de proteção são importantes para pessoas com os mais variados tipos de pele. Todavia, alguns fatores ampliam o risco, como exposição ao sol contínua ao longo da vida, ter sofrido queimaduras solares, ter pele clara e sensível (com sardas) e ter histórico familiar de câncer de pele.

Autoexame: como fazer?

Avaliar sua pele regularmente permite identificar sinais de alerta que indicam a necessidade de consultar um especialista. O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura, inclusive nos casos de melanoma, que são os mais perigosos. Peça ajuda de algum familiar para examinar partes do corpo que não consegue visualizar, como as costas.

O que é importante observar:

  • Manchas e pintas assimétricas, quando uma metade é diferente da outra
  • Lesões com bordas mal definidas
  • Variação de cor na mesma mancha ou lesão
  • Marcas com diâmetro superior a 0,5 cm
  • Alteração de características (cor, formato, tamanho)
  • Lesões com crostas ou semelhantes a verrugas (salientes)
  • Pintas e manchas que coçam, sangram ou apresentam descamação
  • Lesão de pele que não cicatriza

Atenção: O autoexame regular é uma importante prática, mas não substitui consultas periódicas com um dermatologista ou mesmo oncologista.

Como é o tratamento do câncer de pele?

A cirurgia para retirada da lesão maligna é o procedimento mais comum. A maioria dos cânceres de pele tem boas chances de cura, especialmente nos estágios iniciais.

No tratamento de tumores mais agressivos, uma das novidades é a imunoterapia, com o uso de medicamentos que estimulam o sistema imunológico a combater as células cancerígenas. “A imunoterapia tem excelentes resultados, melhores que quimioterapia, nos casos de melanomas com metástase, aumentando em até dez vezes a taxa de sobrevida para a doença avançada”, afirma o Dr. Gustavo. Ela também é utilizada no tratamento de tumor carcinoma escamoso (epidermoide) quando não há possibilidade de cirurgia. Outra novidade no tratamento dos carcinomas não operáveis ou com metástase é o medicamento Vismodegib, que pertence ao grupo das chamadas terapias-alvo. “A terapia genética vem agregando novas possibilidades. Algumas mutações de melanoma já podem ser tratadas com inibidores, também com bons resultados em tumores metastáticos”, diz o Dr. Gustavo.

Cuidados no Americas Centro de Oncologia Integrado

Com unidades em várias regiões do país, o Americas Centro de Oncologia Integrado (ACOI) reúne um conjunto de recursos que fazem a diferença no tratamento do câncer de pele: qualificada equipe de profissionais especializados, incluindo cirurgiões, radioterapeutas e dermatologistas oncológicos; abordagem integrada multidisciplinar; constante atualização e incorporação de modernos tratamentos.

Casos mais complexos são levados às reuniões semanais de Tumor Board, em que vários especialistas discutem e aportam seus conhecimentos, permitindo definir qual é a indicação terapêutica mais precisa e que trará os melhores resultados para o paciente.

Para saber mais, acesse https://www.americasoncologia.com.br

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país