maternidade

O bebê está chegando... O que levar em conta na hora de escolher a maternidade?

Além de indicadores de qualidade e segurança da instituição, são importantes práticas que garantam acolhimento e uma boa experiência para a paciente e seus familiares.      

A chegada do bebê é sempre um momento marcante para as mamães e também para os papais, avós e outros familiares. Para que tudo ocorra com tranquilidade, os cuidados começam antes, com decisões importantes, como a escolha da maternidade. Onde fazer o parto? Evidentemente, é fundamental avaliar a estrutura da instituição e a qualidade e segurança dos serviços. Mas há outros elementos que fazem a diferença para tornar ainda mais especial esse momento: humanização, acolhimento e iniciativas que proporcionem uma boa experiência para a mamãe e os familiares.

Maternidades comprometidas com esses objetivos estão sempre incorporando novidades, algumas surpreendentes. Uma das mais recentes é a instalação de um visor de plasma na “janelinha” da sala de parto que muda de fosco para transparente, permitindo que papai e acompanhantes visualizem o nascimento do bebê. “Não é apenas um novo aparato tecnológico que compõe a sala. É a possibilidade de todos vivenciarem esse momento único”, afirma o Dr. Leonardo Kawasaki, diretor do Hospital e Maternidade Metropolitano Lapa (SP), que implantou recentemente a novidade nas salas de seu centro obstétrico. Lá, a família (no máximo cinco pessoas) aguarda em um espaço fora da sala que o visor se torne transparente. O acionamento do dispositivo é definido pelo obstetra no momento que ele considera adequado e seguro para a parturiente e o bebê. Mas quem decide se quer ou não compartilhar esse momento é sempre a mamãe.

Outra novidade em algumas maternidades é o chamado “campo transparente”, que permite às mulheres que fazem cesariana verem o bebê sendo retirado do útero. Esse material transparente substitui a cortina de tecido que cobria a área do parto, mas mantém a área da incisão fora do campo de visão. Como de praxe no atendimento humanizado, é sempre decisão da mãe utilizar ou não o recurso.

Mas humanização e uma experiência positiva não são feitas apenas de novidades como essas. Ambientação calma, música e práticas que visam amenizar a dor no parto normal também contam pontos importantes. Além disso, faz toda a diferença para mamãe e bebê contarem, durante a estadia na maternidade, com o suporte e assessoria de uma equipe com enfermeiras, neonatologistas, nutricionistas, assistentes de atendimento, fonoaudiólogos e outros profissionais especializados.

Outro fator que deve ser levado em conta é a preparação para o ‘Dia D’ e depois dele. Nesse sentido, maternidades empenhadas em proporcionar um atendimento abrangente e humanizado oferecem cursos que esclarecem dúvidas, desfazem mitos e contribuem para empoderar as pacientes de forma que elas possam viver esse processo com mais segurança e tranquilidade. O Metropolitano da Lapa, por exemplo, oferece um curso mensal e gratuito, ministrado por uma equipe multidisciplinar composta por médico obstetra, enfermeira obstetra, fisioterapeuta, neonatologista e nutricionista. Cada um aborda temas de sua especialidade, dando orientações que vão desde a gestação e parto até cuidados e amamentação do bebê. “É muito gratificante unir o conhecimento de tantos profissionais e perceber a satisfação das pacientes, fazendo parte desse preparo junto com elas e gerando informação”, afirma a Dra. Claudia Pacheco, ginecologista e obstetra responsável pela especialidade no Hospital Metropolitano Lapa. 

Conhecendo a estrutura e os serviços

No processo para escolher a maternidade, como você pode avaliar a estrutura, a qualidade dos serviços e as práticas de segurança? Seguem algumas dicas:

  • Visite várias instituições para avaliar e comparar.
  • Preste atenção à limpeza e ao estado geral das instalações.
  • Se o hospital tiver outras especialidades, é importante que a maternidade seja em uma área separada.
  • Pergunte sobre a estrutura da área de maternidade, se há salas adequadas para parto normal e cesárea e que diferenciais oferecem.
  • Cheque se a instituição tem UTI adulto e neonatal. Isso é particularmente importante nos casos de gravidez de alto risco.
  • Confira se há plantonistas 24 horas.
  • Pesquise as credenciais da instituição, como certificações de qualidade, e, se possível, converse com outras mamães que tenham feito o parto ali.
  • Em tempos de pandemia, preste especial atenção aos procedimentos de segurança adotados pelo hospital/maternidade, como a realização de testes para COVID-19 da gestante e do acompanhante, separação de fluxos, cuidados redobrados na higienização dos ambientes e critérios para a entrada de visitas.
INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país