Banner_Nov_Azul_Americas.

Um mês azul para quebrar tabus

O Novembro Azul chama a atenção para a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata e ajuda a dissolver preconceitos, mostrando que cuidar da saúde também “é coisa de homem”.  

Um duplo desafio ronda a saúde dos homens: além de frequentar menos que as mulheres o consultório médico para os cuidados de rotina, eles ainda resistem em fazer os exames para detecção precoce do câncer de próstata, o que mais afeta a população masculina depois dos tumores de pele não melanoma. “Entre outros fatores, esse comportamento pode estar relacionado a aspectos culturais, como a crença de que os homens são mais fortes e não adoecem com facilidade, e ao medo e preconceito em relação ao exame de toque retal, importante método para o reastreamento do câncer de próstata”, analisa a Dra. Gisele Marinho, gerente médica e coordenadora do Grupo de Tumores Geniturinários do Oncologia Americas no Rio de Janeiro.

Quebrar tabus é fundamental para ajudar a reverter o atual cenário da doença, que provoca a morte de cerca de 15 mil homens por ano no Brasil. Isso significa que a cada 38 minutos um homem morre de câncer de próstata no país.  Muitas dessas vidas provavelmente teriam sido salvas com o diagnóstico precoce, foco central das campanhas do Novembro Azul, que  visa conscientizar os homens e estimulá-los a se cuidarem, pois o índice câncer de próstata pode ser curável quando descoberto nas fases iniciais.

Nesta entrevista, a Dra. Gisele fala sobre a importância dos exames de detecção precoce, e sobre os temores infundados que precisam ser vencidos. Esclarece também  informações os tratamentos mais modernos e suas possíveis sequelas . Confira.

Por que a detecção precoce do câncer de próstata é importante?

Quando diagnosticado no início, o câncer de próstata tem até 90% de chance de cura. Quanto mais cedo se descobre, maiores as chances do tratamento ser efetivo.

Quais são os principais métodos diagnósticos?

O método mais comum é o exame de toque retal, um procedimento rápido (dura cerca de 2 segundos) e indolor que permite ao urologista identificar possíveis alterações na próstata. Se o médico considerar necessário, também pode solicitar o exame de sangue para avaliar os níveis de PSA (antígeno prostático específico). O PSA é uma enzima produzida normalmente pela próstata, mas quando existem alterações nessa glândula, essa produção pode ser exagerada. É importante destacar que nem todo PSA elevado significa câncer. A ressonância magnética pode ser utilizada para auxiliar no diagnóstico. A confirmação do câncer, porém, só virá com a realização de biópsia, ou seja, a extração de uma amostra de tecido da próstata para ser analisada em laboratório. Em centros mais avançados, como os hospitais do Americas, é possível contar com biópsia guiada por ressonância magnética, um método indicado para casos específicos.

Se a detecção precoce do câncer de próstata é tão importante, por que tantos homens ainda resistem em fazer os exames?

De modo geral, os homens procuram menos por cuidados médicos do que as mulheres, que vão ao ginecologista com mais frequência. Uma das causas desse fenômeno pode estar relacionada a aspectos culturais, como a crença de que os homens são mais fortes e não adoecem com facilidade. Esse tipo de pensamento gera desinformação e ações equivocadas. Também existe o medo e o preconceito em relação a consulta com urologista e o exame de toque retal. O exame precisa ser considerado como algo importante e necessário, para que mais vidas sejam salvas.

Existem outros tabus ou mitos relacionados à doença?

Um aspecto preocupante é a divulgação de ideias simplificadoras, como afirmar que o câncer de próstata é inofensivo e dificilmente leva à morte. Esse tipo de pensamento pode levar ao descuido nas etapas de diagnóstico e tratamento. Há diferentes tipos de câncer de próstata, dos menos aos mais agressivos, com diferentes períodos de crescimento e desenvolvimento. Todos necessitam de cuidados.

Outro tabu associado ao câncer de próstata é o temor que alguns homens têm de que os tratamentos irão causar sequelas como impotência sexual ou incontinência urinária. Os tratamentos vêm evoluindo cada vez mais, buscando o melhor desfecho clínico com o mínimo de sequelas, propiciando qualidade de vida aos pacientes.

A partir de que idade devem ser iniciados os exames de rastreamento?

A recomendação é começar a partir dos 50 anos de idade para os homens em geral e antes disso, aos 45, para aqueles que têm fatores de risco (histórico de câncer de próstata na família, obesidade e homens negros). A consulta com urologista é importante pois, Além de traçar a melhor estratégia para a detecção precoce de tumores, também irá avaliar a saúde do paciente de forma global, visando evitar o desenvolvimento de outras enfermidades.

Quais são as formas de tratar o câncer de próstata?

O tratamento varia de acordo com o estágio, o tipo de câncer e sua agressividade:

  • Acompanhamento e observação: no caso dos cânceres em estágios muito iniciais e baixa agressividade
  • Radioterapia: os avanços tecnológicos possibilitam que o tratamento seja bem localizado, isto é, a radiação incide apenas na área do tumor, com grande eficácia, reduzindo as chances de sequelas, como a impotência sexual e a incontinência urinária.
  • Cirurgia para remoção da próstata: pode ser recomendada, utilizando modernas técnicas cirírgicas. técnicas (robótica ou laparoscópica), mostram cada vez mais efetivas e seguras e com menos sequelas.

Tem como prevenir o câncer de próstata?

Não há uma forma específica de prevenção do câncer de próstata. O importante é adotar um estilo de vida saudável, o que contribui para prevenir o surgimento de vários tipos de cânceres e outras doenças. Isso inclui:

  • Alimentação saudável (rica em frutas, verduras, legumes, grãos, cereais integrais e menor quantidade de gordura, principalmente animal)
  • Atividade física regular (fazer no mínimo 30 minutos diários)
  • Manter o peso adequado para a altura
  • Identificar e tratar adequadamente hipertensão, diabetes e problemas de colesterol
  • Não fumar
  • Dormir bem
  • Cuidar da saúde mental
  • Fazer sexo seguro

Americas: uma rede de cuidados especializados

A rede ambulatorial e hospitalar do Americas conta com equipes especializadas e modernas tecnologias para diagnóstico e tratamento do câncer de próstata, sempre com atendimento acolhedor e estratégias de cuidado individualizada. Para mais informações, acesse https://www.americasoncologia.com.br/

INS_noticia-intena_profile-writer.jpg
Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-hospitalar do país