Imagem com uma ilustração de passageiros se acomodando dentro de um avião.

Vai de avião? Então, fique atento à trombose

22/08/2017 - 2 minutos de leitura

Voos muito longos podem aumentar o risco de desenvolver o problema, mas é possível se prevenir e viajar tranquilo. Veja como.

Quando ficamos imóveis, sentados em uma mesma posição, como em uma viagem de avião, aumentamos a probabilidade de o sangue ficar estacionado nas pernas, favorecendo a formação de coágulos. Estes, por sua vez, interrompem o fluxo sanguíneo para os tecidos da região, que podem ser seriamente afetados. Ou seja, a contração dos músculos é essencial para que o sangue flua normalmente pelas veias, evitando que esse tipo de situação aconteça.

O quadro, batizado de trombose, pode se tornar ainda mais preocupante quando o coágulo se desprende das pernas, passeia pela corrente sanguínea e vai parar em uma artéria do pulmão, causando um bloqueio. Nesse caso, a respiração é comprometida, colocando a vida da pessoa em risco.Por permanecer no assento, com restrição de movimentos, quem viaja por mais de quatro horas tem duas vezes mais riscos de ter o problema, segundo um levantamento da Organização Mundial de Saúde.

Felizmente, ele não é tão comum: afeta, em média, um em cada seis mil passageiros. Sua gravidade, porém, justifica ter toda cautela, adotando as medidas de prevenção e aprendendo a reconhecer seus sintomas. As precauções devem começar antes mesmo do embarque. Quem tem propensão a apresentar trombose deve consultar um médico e seguir suas orientações.

Se for necessário, ele poderá prescrever medicamentos anticoagulantes ou o uso de meias de compressão, que favorecem a circulação.

Conheça algumas condições que merecem cautela redobrada:
— Histórico familiar ou episódio anterior de tromboembolismo pulmonar.
 — Uso de contraceptivos orais ou terapia de reposição hormonal
 — Cirurgia ou trauma recente, especialmente no abdômen, nas pernas ou na pelve.
 — Obesidade, hipertensão, câncer, diabetes e/ou alterações de colesterol
 — Idade superior a 70 anos
 — Varizes
 — Problemas de coagulação
 — Tabagismo
 — Gravidez ou pós-parto (até seis meses)
 
Durante a viagem, você pode dar uma forcinha para a circulação:
— Faça exercícios para a panturrilha e alongamento, a cada hora. Primeiro, levante as pontas dos pés e, em seguida, os calcanhares, em um movimento de vai e vem.
 — Levante-se de duas em duas horas e caminhe pelos corredores do avião, por cerca de cinco minutos
 — Guarde sua bagagem de mão em local que não restrinja os movimentos de seus braços e pernas.
 — Vista roupas e calçados confortáveis, que não apertem — especialmente, as pernas e a cintura.
 — Evite dormir encolhido, com os membros muito dobrados.

Atenção!
Se, apesar de tanto cuidado, você sentir aquecimento anormal nas pernas, dor, inchaço excessivo, falta de ar, dor no peito ou ao respirar, pulso acelerado ou tontura — seja durante ou após o voo — , não hesite em procurar ajuda.

Logo do Americas Serviços Médicos.
Autor Americas Serviços Médicos

O mais moderno Grupo Médico-Hospitalar do país.